sábado, 29 de fevereiro de 2020

DICA DE MÚSICA: Como ela consegue?

Olá! Tudo bem?

Se é sua primeira vez aqui, conheça um pouco de minha história aquiaqui e aqui. Recomendo, fortemente, que leia também todos os posts deste espaço para sentir como sou, como penso, pois você pode se identificar com o Mente Investidora. Ler apenas um post pode te induzir a ter uma interpretação errônea de quem eu sou e como busco a independência financeira. Fica a dica. 

Se você não quer ou não pode ler os posts deste espaço (está em ambiente público ou dirigindo, por exemplo) ou possui deficiência visual, use o plugin Audima que se encontra no topo do título de cada postagem para ouvir seu conteúdo (basta clicar no botão play). É gratuito. Funciona como uma espécie de podcast.





Mais uma postagem na seção Dica de Música.

Lisa Gerrard, uma voz alienígena. Como ela consegue? Alcance vocal surreal. A música é Sacrifice. Meu primeiro contato com a canção foi atráves do filme O informante com Al Pacino e Russel Crowe e direção de Michael Mann, o cineasta responsável por colocar Pacino e De Niro em Fogo contra fogo. Se não viu O informante, não perderia um minuto sequer. Tenho convicção que não recebeu os prêmios e reconhecimento merecidos por lobby da indústria do tabaco. Pacino tem uma cena imperdível, das melhores de sua carreira já tão laureada.

Se você não conhece Lisa, ela é a voz da música tema da película Gladiador, de Ridley Scott, Now We Are Free.







Bom fim de semana a todos!

Até mais!

4 comentários:

  1. a parte exótica da voz dela é o fato de uma mulher conseguir controlar tão bem o timbre com essa voz grave. Ótima recomendação!

    K.T.
    thekronostrader.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. A coluna Dica de Música já trouxe outras recomendações. É só pesquisar.

      Abraço.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Obrigado. A coluna Dica de Música já trouxe outras recomendações. É só pesquisar.

      Abraço.

      Excluir

Deixe seu comentário. Mensagens desrespeitosas serão sumariamente excluídas. Críticas construtivas e sugestões são muito bem-vindas.